Pular para o conteúdo principal

O Estágio das Úlceras de Pressão



O estágio 01 das Úlceras de Pressão apresenta a pele íntegra, mas com sinais de ulceração iminente. Existe o que chamamos hiperemia reativa, ou seja o alívio da pressão causa hiperemia (irrigação excessiva e vermelhidão), o aumento do fluxo sanguíneo visa oxigenar os tecidos e remover os subprodutos do metabolismo prejudiciais. A hiperemia reativa cessa após 24hs do alívio da pressão. Febrícula (calor local) e e endurecimento da pele (dermatosclerose) podem estar presentes. Pressão contínua cria um vermelhidão (eritema) que não se desfaz com uma leve pressão, marcando os dedos na palpação, e representa o primeiro sinal exterior de comprometimento do tecido.

O estágio 02 das Úlceras de Pressão representa o comprometimento parcial de pele em espessura, com extensão mínima para o tecido subcutâneo. Esta lesão se apresenta como uma bolha, tecido levemente dilacerado (como se fora esfolado, raspado com efeito de abrasão), ou ainda como uma ulceração discreta.

O estágio 03 das Úlceras de Pressão representa o comprometimento total de pele em espessura, com extensão para o tecido subcutâneo, mas não compromete ainda a fáscia (membrana que envolve os músculos, cavidades e estruturas como ligamentos e tendões). Esta lesão se apresenta já como uma Úlcera importante, com ou sem o descolamento dos tecidos adjacentes. Pode ainda haver presença de tecido necrótico, o que deve ser avaliado pela equipe médica, pois a profundidade e largura da base da ferida pode não representar a extensão interna do problema.

O estágio 04 das Úlceras de Pressão representa o comprometimento total de pele e total ou em parte do músculo. Com extensão para o tecido ósseo, provável ocorrência de ostiomielite. As cavidades e estruturas como ligamentos e tendões podem estar comprometidos, expostos ou não. A Úlcera de Pressão nesse estágio se constitui por si só um novo problema a ser tratado.

Comentários