Pular para o conteúdo principal

Postagens

O que é Alzheimer?

O Alzheimer é uma doença neuro-degenerativa que provoca o declínio das funções cognitivas, reduzindo as capacidades de trabalho e relação social e interferindo no comportamento e na personalidade da pessoa. De início, o paciente começa a perder sua memória mais recente. Pode até lembrar com precisão acontecimentos de anos atrás, mas esquecer que acabou de realizar uma refeição. Com a evolução do quadro, o Alzheimer causa grande impacto no cotidiano da pessoa e afeta a capacidade de aprendizado, atenção, orientação, compreensão e linguagem. A pessoa fica cada vez mais dependente da ajuda dos outros, até mesmo para rotinas básicas, como a higiene pessoal e a alimentação. O Alzheimer é a causa mais comum de demência - um grupo de distúrbios cerebrais que causam a perda de habilidades intelectuais e sociais. Na doença de Alzheimer, as células cerebrais degeneram e morrem, causando um declínio constante na memória e na função mental. A demência varia em gravidade desde o estágio mais brando
Postagens recentes

A importância do home care e cuidados durante a pandemia de COVID-19!

Atendimentos médicos e tratamentos não urgentes precisaram ser adiados por causa da rápida propagação do novo corona vírus. Mas existem alguns casos em que o acompanhamento profissional não pôde ser pausado, como são os pacientes de home care. Esse tipo de intervenção se trata da internação domiciliar, em que o paciente dá continuidade aos cuidados iniciados no hospital, em sua própria residência. Isso acontece com a ajuda de profissionais da saúde, recebendo toda a atenção que precisa e cuidados como os ministrados no ambiente hospitalar. Mas neste período de pandemia é necessário que esses pacientes tomem algumas precauções.  Uma das preocupações é por se tratarem, na maioria dos casos, de pessoas que já estão fragilizadas. A IMPORTÂNCIA DO HOME CARE DURANTE A PANDEMIA “O home care passa a ser uma opção por não termos na rede hospitalar o suporte para todos. Sendo uma opção não apenas dos idosos, mas para crianças e adultos. Passou a ser uma alternativa para todos os pacientes estáve

Alimentação Saudável

Uma alimentação saudável, isso é, adequada nutricionalmente e sem contaminação, tem influência no bem-estar físico e mental, no equilíbrio emocional, na prevenção e tratamento de doenças. Fique Atento:  Durante doenças graves e de longa duração pode ocorrer sangramento nas gengivas, por isso é preciso que o cuidador tenha uma atenção redobrada com a higiene da boca da pessoa cuidada. Ao observar sangramento mais constante e presença de pus nas gengivas o cuidador precisa comunicar o fato à equipe de saúde. É comum a pessoa idosa ter uma diminuição da estrutura óssea da boca. Essa perda óssea faz com que a prótese fique frouxa, aumentando o movimento, o desconforto e a possibilidade de lesões na gengiva. Lembrar que dentes quebrados podem ferir a boca. - É comum que pessoas doentes tenham o apetite diminuído, mas é preciso estar atento, a recusa em se alimentar ou a agitação no horário das refeições pode ser decorrente de prótese mal adaptada, cárie, dentes fraturados, feridas,

Crescimento da população idosa

Crescimento da população idosa reforça necessidade de ações destinadas ao público Tomaz Silva /ABrPessoas com 65 anos já representam mais de 10% da população brasileira e, até 2060, os idosos devem ser 25,5% do total, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2018. A previsão reforça a importância do poder público em se preparar para a mudança demográfica. Nesse contexto, o Dia do Idoso 2019 chamou a atenção para o entendimento de que “Envelhecer com qualidade de vida é possível”. Dados do Ministério da Saúde (MS) apontam que 29,3 milhões de brasileiros são idosos. O Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (ELSI-Brasil), do ano passado, apontou a dependência desse grupo aos serviços públicos, como: 75,3% dependem exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS). Já, a Pesquisa Nacional de Saúde mostrou que do público 24,6% têm diabetes, 56,7% hipertensão e 66,8% excesso de peso. Um problema frequente, porém, evitável, entre o público, é a ocor

Oque é o cuidado?

O cuidado Cuidado significa atenção, precaução, cautela, dedicação, carinho, encargo e responsabilidade. Cuidar é servir, é oferecer ao outro, em forma de serviço, o resultado de seus talentos, preparo e escolhas; é praticar o cuidado. Cuidar é também perceber a outra pessoa como ela é, e como se mostra, seus gestos e falas, sua dor e limitação. Percebendo isso, o cuidador tem condições de prestar o cuidado de forma individualizada, a partir de suas idéias, conhecimentos e criatividade, levando em consideração as particularidades e necessidades da pessoa a ser cuidada. Esse cuidado deve ir além dos cuidados com o corpo físico, pois além do sofrimento físico decorrente de uma doença ou limitação, há que se levar em conta as questões emocionais, a história de vida, os sentimentos e emoções da pessoa a ser cuidada. O Autocuidado “Tudo que existe e vive precisa ser cuidado para continuar existindo. Uma planta, uma criança, um idoso, o planeta Terra. Tudo o que vive precisa ser alimentado.

O que é Diabetes?

O diabetes é uma síndrome metabólica de origem múltipla, decorrente da falta de insulina e/ou da incapacidade de a insulina exercer adequadamente seus efeitos, causando um aumento da glicose (açúcar) no sangue. O diabetes acontece porque o pâncreas não é capaz de produzir o hormônio insulina em quantidade suficiente para suprir as necessidades do organismo, ou porque este hormônio não é capaz de agir de maneira adequada (resistência à insulina). A insulina promove a redução da glicemia ao permitir que o açúcar que está presente no sangue possa penetrar dentro das células, para ser utilizado como fonte de energia. Portanto, se houver falta desse hormônio, ou mesmo se ele não agir corretamente, haverá aumento de glicose no sangue e, consequentemente, o diabetes. Tipos Diabetes tipo 1 No diabetes tipo 1, o pâncreas perde a capacidade de produzir insulina em decorrência de um defeito do sistema imunológico, fazendo com que nossos anticorpos ataquem as células que produzem a esse hormônio.

O que é Pneumonia?

Pneumonia é uma infecção que se instala nos pulmões, podendo acometer a região dos alvéolos pulmonares. Alguns sintomas da doença são: febre alta (acima de 37,5° C), tosse seca ou com catarro de cor amarelada ou esverdeada, falta de ar e dificuldade de respirar. Basicamente, pneumonias são provocadas pela penetração de um agente infeccioso ou irritante (bactérias, vírus, fungos e por reações alérgicas) no espaço alveolar, onde ocorre a troca gasosa. Esse local deve estar sempre muito limpo, livre de substâncias que possam impedir o contato do ar com o sangue. Diferentes do vírus da gripe, que é uma doença altamente infectante, os agentes infecciosos da pneumonia não costumam ser transmitidos facilmente. PNEUMONIA É CONTAGIOSA? De modo geral a pneumonia não é contagiosa e nem transmissível. Mesmo se alguém tossir na nossa frente, só é possível pegar a pneumonia caso os mecanismos de defesa do corpo falhe, como em casos de câncer, desnutrição, doença pulmonar prévia ou de outro órgão, al

O que é Osteoporose?

Osteoporose é uma doença metabólica, sistêmica, que acomete os ossos. A prevalência da osteoporose, acompanhada da morbidade e mortalidade de suas fraturas, aumenta a cada ano. Estima-se que com o envelhecimento populacional na América Latina, o ano de 2050, quando comparado a 1950, terá um crescimento de 400% no número de fraturas de quadril para homens e mulheres entre 50 e 60 anos, e próximo de 700% nas idades superiores a 65 anos. Estima-se que a proporção da osteoporose para homens e mulheres seja de seis mulheres para um homem a partir dos 50 anos e duas para um acima de 60 anos. Aproximadamente uma em cada três mulheres vai apresentar uma fratura óssea durante a vida. Osteoporose é uma doença metabólica, sistêmica, que acomete os ossos. A prevalência da osteoporose, acompanhada da morbidade e mortalidade de suas fraturas, aumenta a cada ano. Estima-se que com o envelhecimento populacional na América Latina, o ano de 2050, quando comparado a 1950, terá um crescimento de 400% no n